O QUE É IPO? POR QUE AS EMPRESAS FAZEM ISSO?


Todo mundo em algum momento já ouviu falar sobre IPO - "Ah, porquê tal empresa vai fazer um IPO em janeiro!" - mas você nunca entendeu o significado disso na prática, certo? Leia este artigo, que você sairá daqui expert em IPO.


Uma oferta pública inicial (IPO) é o processo em que uma empresa privada oferece ações para compra ao público em geral pela primeira vez na bolsa de valores para levantar capital. Embora possamos pensar que “abrir o capital” é apenas para empresas grandes e extremamente lucrativas, há muitas pequenas empresas que decidem abrir o capital também.

Uma olhada na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) ou Nasdaq, e você verá milhares de empresas listadas. O tamanho das empresas pode variar de nomes conhecidos, como Visa, Nubank, Apple, Johnson & Johnson, há também empresas menores e menos populares, como Malibu Boats e Eyepoint Pharmaceuticals.

Cada empresa começou como uma pequena empresa privada e cresceu ao longo do tempo para atrair investidores e levantar capital à medida que se tornou pública com sua oferta pública inicial (IPO). Então, o que é uma empresa pública? É uma empresa de capital aberto listada na bolsa de valores onde o público pode comprar ações e ter participação acionária nessa empresa. O valor de uma empresa é, em parte, determinado pelas decisões dos principais acionistas e pelo preço das ações.


Principais conclusões:

  • As ofertas públicas iniciais (IPOs) são quando uma empresa privada decide abrir o capital pela primeira vez e oferece várias ações de suas ações ao público na bolsa de valores.
  • Os IPOs oferecem às empresas uma maneira de levantar capital para pesquisa, crescimento e expansão.
  • O processo de oferta de um IPO é longo e envolve a contratação de um banco de investimentos como assessores que definem preços e datas, comercializam a empresa e cuidam das finanças.

IPOs SPAC vs. IPOs tradicionais

SPAC IPOs (sociedades de aquisição de propósito especial), também conhecidas como empresas de cheques em branco, referem-se a empresas que não possuem operações comerciais para concluir um IPO. Os SPACs são formados com o objetivo de arrecadar dinheiro por meio de um IPO para se fundir com uma empresa existente para torná-lo público.

As principais diferenças entre IPOs SPAC e IPOs tradicionais são:

  • O tempo que leva para concluir o processo.
  • O número de divulgações que devem ser arquivadas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM no Brasil ou SEC nos EUA).
Algumas empresas aceitam ser adquiridas por SPACs para acelerar o processo de abertura de capital. Por exemplo, enquanto um IPO pode levar de 6 a 9 meses, um SPAC pode levar apenas de 3 a 6 meses, acelerando significativamente o cronograma.

Semelhanças entre IPOs tradicionais e IPOs SPAC

A semelhança entre IPOs e SPACs é a necessidade de obter aprovação da SEC, levantar dinheiro por meio de uma oferta pública inicial e listar a empresa no mercado de ações. Mas também existem algumas diferenças.

Diferenças entre IPOs tradicionais e IPOs SPAC

Uma das diferenças mais significativas entre IPOs e SPACs é o tempo que leva para percorrer o processo. A razão é que os SPACs não têm tanta informação para divulgar, então o arquivamento não leva muito tempo.

O preço também é abordado de forma diferente. Para um IPO tradicional, o preço depende da condição do mercado quando é listado, enquanto, para um SPAC IPO, o preço é definido antes da finalização da transação, o que pode ser benéfico para a empresa em um mercado volátil .

Outra diferença importante são as complicações que podem surgir durante o processo. Os IPOs tradicionais são examinados durante todo o processo, do início ao fim, o que dificulta as chances de uma transação bem-sucedida. Os SPACs não possuem as mesmas diretrizes regulatórias, o que simplifica o processo de aprovação.

Entenda como funcionam os IPOs

O que são ações IPO? Quando uma empresa decide abrir o capital, geralmente já conta com algum crescimento de negócios e apoio de familiares, amigos e possivelmente outros profissionais que investiram na empresa, como investidores-anjo.

Investidores-anjos são pessoas físicas que fornecem apoio financeiro a empresas iniciantes e empreendedores para algum tipo de participação no negócio. Esses investidores podem ser amigos e geralmente investem nos estágios iniciais do negócio para ajudá-lo a decolar.

Claro, decidir ir a público é um grande passo. Embora dê à empresa a capacidade de levantar uma quantia significativa de dinheiro para crescer, também é um processo longo que pode ser caro e ter dificuldades.

Conforme mencionado anteriormente, alguns requisitos precisam ser atendidos pela Securities and Exchange Commission (SEC), que fiscaliza as companhias abertas. Além disso, há muita papelada e divulgações para arquivar, e o aumento da atenção e do escrutínio do público pode ser feroz e muito estressante.

Por isso, contratar um banco de investimento para administrar o IPO é um grande benefício. Eles atuam em nome da empresa para ajudar a definir o preço da oferta, preparar o IPO e agendar reuniões para colocar a empresa na frente de potenciais investidores, o que é chamado de roadshow.

Na maioria dos casos, antes de abrir o capital, a empresa teria atingido um estágio conhecido como status de unicórnio, que descreve uma empresa privada avaliada em mais de US$ 1 bilhão. No entanto, em algumas circunstâncias, uma empresa privada pode se qualificar para um IPO se atender aos outros critérios de oferta e tiver um forte potencial de lucratividade.

Os bancos de investimento ou subscritores são uma parte que assume o risco para outra parte (a empresa) por uma taxa, como comissão ou juros. Eles definem o preço das ações da empresa por meio de um processo chamado due diligence, que é uma revisão e auditoria das finanças da empresa, para garantir que os registros sejam uma representação justa e correta da empresa.

Quando o preço é definido, as ações são emitidas para os investidores e as ações começam a ser negociadas na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) ou na Nasdaq, o que oferece uma oportunidade de vender ações para milhões de investidores. Mas, novamente, o benefício é a capacidade de levantar uma quantidade significativa de capital.


Raciocínio por trás do motivo pelo qual as empresas buscam IPOs

Embora a Oferta Pública Inicial (IPO) seja a primeira vez que o público está exposto às ações da empresa, a empresa já possui investidores na forma de familiares, amigos e investidores de capital de risco. Portanto, um dos propósitos do IPO é permitir que os primeiros investidores façam saques se assim o desejarem.

Razões pelas quais uma empresa abre o capital:
  • As empresas visam levantar capital adicional para pesquisa, expandir e expandir seus negócios e pagar dívidas.
  • Os IPOs oferecem oportunidades de crescimento por meio da publicidade.
  • Os IPOs adicionam credibilidade à empresa, o que pode fornecer opções financeiras adicionais dos credores.

Desafios em abrir o capital:
  • Qualificação de reunião para a Securities and Exchange Commission (SEC).
  • Deve responder e prestar contas aos acionistas.
  • Arquivamento de documentos trimestrais e relatórios anuais.

Termos essenciais do IPO

Investir, como todos os setores, tem terminologia que pode simplificar o entendimento, por isso abordaremos os termos mais essenciais usados ​​ou ouvidos ao investir em IPOs.

  • Alocação – é a quantidade de ações em uma oferta pública inicial (IPO) vendida a investidores.
  • Add on offer – quando empresas de capital aberto emitem ações adicionais ao público.
  • Ações ordinárias – unidades de participação em uma empresa pública que oferecem direitos de voto e dividendos decorrentes do crescimento da empresa.
  • Melhor esforço – o arranjo em que os banqueiros de investimento, atuando como agentes, concordam em fazer o melhor esforço para vender as ações ao público.
  • Due diligence – quando uma investigação minuciosa é conduzida na empresa pelas partes envolvidas para preparar divulgações para conformidade com a SEC.
  • Prospecto preliminar – documento que divulga informações sobre o negócio, como documentos e demonstrativos financeiros, estratégias e informações gerenciais.
  • Underwriter – o banco de investimento que administra a oferta de IPO para a empresa emissora, que determina o preço de emissão das ações, comercializa o IPO e cede as ações aos investidores.
  • Data efetiva – o dia em que o IPO é registrado para venda.
  • Marca de preço – a faixa de preço que os investidores podem oferecer por ações. É determinado pela empresa e pelo subscritor.
  • SEC – a Securities and Exchange Commission, uma agência federal que regula e supervisiona o setor de valores mobiliários, que impõe regras para proteção contra más práticas e garante que as empresas forneçam divulgações completas.
  • Capital de risco – dinheiro arrecadado para ajudar empresas iniciantes a desenvolver e comercializar seus produtos e serviços. Em troca, eles recebem uma participação acionária na empresa e possíveis assentos no conselho de administração.
  • Roadshow – um tour que a empresa faz em preparação para um IPO para ganhar o interesse de potenciais investidores. É um evento apenas para convidados para investidores institucionais, analistas e gestores de dinheiro. Às vezes pode ser referido como um show de cães e pôneis.
  • Data de oferta – o primeiro dia em que a ação é colocada à venda ao público.
  • Preço de oferta – o preço pelo qual as ações serão vendidas ao público, também conhecido como preço de emissão.
  • Tamanho do lote – o menor número de ações que podem ser licitadas antes de ter que licitar múltiplos do tamanho do lote.

A Oferta Pública Inicial (Processo de IPO)

A Oferta Pública Inicial (IPO) é um processo que é essencialmente 2 partes. Inclui a atividade antes da oferta inicial e o próprio IPO. Isso garante que as coisas prossigam sem problemas e que todas as etapas do processo sejam seguidas para limitar o risco. As atividades para um IPO incluem:

  • Recebimento de propostas – o banco de investimento/underwriter oferece um prospecto sobre seus serviços e discute o preço da oferta, quantidade de ações e prazo estimado.
  • Escolhendo um subscritor/banqueiro de investimento – para auxiliar na preparação para o IPO, que pode levar de 6 a 9 meses. Ao procurar um banqueiro de investimento, é importante pesquisar vários fatores que incluem:
    • Conhecimento do setor
    • Reputação
    • Histórico de IPOs
    • Alcance do investidor
  • Arquivamento de documentos e due diligence – são realizadas pesquisas sobre a empresa e sua administração para evitar problemas inesperados que afetem o lançamento ou a precificação do IPO. Serão assinados contratos que explicam os serviços prestados e podem incluir 1 ou mais dos seguintes acordos.
  • Compromisso firme – o subscritor concorda em comprar o IPO e revender suas ações ao público, garantindo que a empresa receberá o valor listado no contrato.
  • Melhor esforço – o subscritor concorda em fazer seu melhor esforço para vender as ações, mas não há garantia de que eles venderão.
  • Tudo ou nada – ou o subscritor vende todas as ações ou o IPO é cancelado.
  • Registro – os subscritores começarão a registrar o IPO na Securities and Exchange Commission (SEC) e podem incluir documentos como:
    • Carta de intenção – dá o escopo das obrigações e compromisso com a empresa emissora e a declaração da empresa para cooperar com o subscritor e oferece uma opção de 15% de overlote.
    • Carta de compromisso – inclui uma cláusula de que a empresa pagará todas as despesas do subscritor incorridas e inclui a taxa do subscritor.
    • Red herring document – ​​inclui as informações sobre as operações da empresa.
    • Declaração de registro S-1 – apresentada à SEC para registrar o IPO. Inclui todas as informações relevantes sobre a empresa e suas finanças com detalhes adicionais não disponíveis ao público.

  • Marketing do IPO – os subscritores começam a comercializar a nova oferta de ações para estabelecer a demanda e se preparar para o roadshow. Esta é a oportunidade da empresa de viajar para medir a demanda por ações para ajudar os subscritores a definir o preço final das ações e o número de ações a serem disponibilizadas.
  • Precificação do IPO – Uma vez aprovado pela SEC, os subscritores definem um preço de ação que pode ser determinado por fatores como resultados do roadshow, demanda antecipada, avaliação da empresa e reputação. Este é um passo crucial, pois um preço muito alto pode desencorajar os investidores, enquanto um preço muito baixo e a empresa não alcançará seus objetivos financeiros.
  • Lançamento e emissão de ações – a empresa emite as ações e recebe os recursos pagos pelos investidores que compraram as ações. Está registrado no balanço patrimonial do acionista.
  • Listagem direta versus IPO – uma oferta pública de listagem direta é semelhante a uma IPO, mas elimina os intermediários, como bancos, subscritores e corretores, e subscreve seus próprios títulos.

Os benefícios e riscos dos IPOs

Existem muitas razões pelas quais uma empresa pode decidir abrir o capital, mas nem todas podem ser adequadas para todas as empresas, por isso é essencial estar ciente das desvantagens e das vantagens.

Os benefícios dos IPOs

Oportunidades de captação de recursos – Um dos motivos mais populares para fazer uma oferta pública inicial (IPO) é arrecadar fundos para pesquisa, contratar funcionários, reduzir dívidas, construir instalações e promover o crescimento geral. A capacidade de arrecadar dinheiro pode afetar significativamente o sucesso de uma empresa.

Reduza o custo do empréstimo – As empresas privadas não obtêm nenhum benefício quando se trata de pedir dinheiro emprestado. As altas taxas de juros e as dificuldades na obtenção de empréstimos podem, na melhor das hipóteses, tornar o início e a administração de um negócio complexo. Um IPO pode aliviar o problema porque a empresa é vista como menos arriscada e com menos crédito. Esses fatores, juntamente com a capacidade de atrair investidores, podem fazer uma grande diferença para uma empresa.

Oportunidade para os primeiros investidores liquidarem – Os primeiros investidores de uma empresa nem sempre pretendem permanecer no longo prazo, e um IPO lhes oferece a oportunidade de liquidar seus investimentos e seguir em frente.

IPOs oferecem publicidade – Um IPO pode fornecer exposição significativa à base de clientes que a empresa atende, proporcionando uma maneira de ganhar atenção, credibilidade e crescimento.

IPOs podem atrair os melhores talentos – A capacidade de oferecer opções de ações como parte de um pacote de recrutamento é uma maneira valiosa de atrair os melhores talentos para uma empresa, o que muitas vezes pode levá-la ao próximo nível.


Os riscos dos IPOs

Requisitos de regulamentação e divulgações – A abertura de capital com uma oferta pública inicial significa que a empresa é obrigada a fornecer uma variedade de informações, incluindo demonstrações financeiras, à SEC anualmente. Pode ser um processo tedioso e demorado que pode colocar controles financeiros rigorosos na empresa. Taxas de preparação de documentos e auditorias podem custar à empresa quantias significativas de dinheiro.

Desistir do controle – Embora a empresa já tenha sido um sucesso, um IPO significa que as metas precisam ser cumpridas e os acionistas precisam ficar felizes. O IPO fornece o dinheiro necessário, mas vem com expectativas. Em alguns casos, o IPO pode dar o controle aos acionistas, sem que haja escolha para os proprietários, mesmo que discordem da direção da empresa.

Pressão para realizar – Os fundadores de empresas geralmente têm uma visão para sua empresa e seu crescimento, mas um IPO e as restrições que ele traz podem inviabilizar essa visão. A visão do público pode ser virada de cabeça para baixo à medida que investidores e analistas os pressionam para atingir as metas de ganhos. A falha em atingir as metas pode atrapalhar a liderança e as operações em um esforço para atingir essas metas.

Despesas – Sair de uma empresa privada para uma pública com um IPO é caro. Entre os custos de preparação de documentos, custos de subscrição e regulação, honorários advocatícios e consultores que fazem tudo acontecer, pode aumentar rapidamente.

Como ter acesso às ações do IPO

Por que investir em IPOs? Existem várias razões pelas quais investir em IPOs pode ser vantajoso. Uma das razões é a capacidade de investir em uma empresa em que você acredita que oferece os produtos e serviços que podem beneficiar o público. O investimento pode ser feito durante o horário normal do mercado de ações. No entanto, a negociação de um IPO normalmente não começa até o final da manhã ou início da tarde do primeiro dia de negociação. Esse atraso pode ser causado pela oferta limitada de ações e alta demanda.

Outros motivos incluem:

  • Oportunidade piso térreo – Quando você investe em uma empresa com alto potencial de crescimento, eles podem oferecer melhores retornos ao longo do tempo se a empresa for bem, mas é sempre um risco. Todo investimento tem incertezas, portanto, estar ciente delas é importante.
  • Transparência – Um IPO passa por um processo altamente regulamentado, e as informações estão disponíveis para todos os investidores, grandes e pequenos.

Quando se trata de como comprar ações do IPO, há um processo. Embora gostemos de pensar que podemos simplesmente entrar online e comprar uma ação IPO, não é tão fácil. O primeiro passo é encontrar uma corretora que lide com pedidos de IPO, pois nem todas as empresas têm a capacidade de fazê-lo. Mesmo que você possa comprar, talvez não consiga obter o preço de oferta inicial e também pode haver requisitos que devem ser atendidos antes de você se qualificar para comprar.

Então, o que você pode fazer para contornar os obstáculos? Uma opção é verificar os fundos negociados em bolsa (ETFs) que investem em IPOs, conhecidos como IPO ETFs, que oferecem acesso a empresas recém-abertas.

The Bottom Line

Os IPOs podem fazer uma grande diferença para as empresas privadas na hora de levantar o dinheiro de que precisam para crescer. O processo não é fácil, é caro e demorado. Mas oferece a oportunidade de arrecadar fundos e destacar a empresa.

Os investidores gostam da ideia de investir em IPOs devido aos ganhos potenciais, mas não é fácil entrar no piso térreo, pois nem todos os corretores os oferecem. Mesmo que seja possível, eles podem ser arriscados.


Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem