O BRASIL VAI ADOTAR UMA MOEDA ÚNICA? ENTENDA

O BRASIL VAI ADOTAR UMA MOEDA ÚNICA? 

Na última segunda-feira, 23, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu com o presidente da Argentina, Alberto Fernández, para discutir questões de interesse comum entre os dois países sul-americanos. Este foi o primeiro encontro internacional do presidente brasileiro desde que ele assumiu o cargo em 1º de janeiro.

Durante a reunião, os líderes discutiram formas de cooperação entre Brasil e Argentina para o desenvolvimento da região através de acordos bilaterais. Lula defendeu a criação de uma moeda única “Sur”, para operações comerciais com países membros do Mercosul como forma de diminuir a dependência do dólar americano.

Durante o seu mandato, o ex-presidente Jair Bolsonaro defendeu a criação de uma moeda única chamada peso-real, mas o projeto não avançou e nem foi discutido pelo ministro Paulo Guedes. Bolsonaro afirmou em uma coletiva de imprensa que Guedes "nada mais fez do que dar o primeiro passo para um sonho de uma moeda única na região do Mercosul, o peso-real". A ideia do atual presidente Lula é criar uma moeda comum, ao invés de uma moeda única.


OPINIÕES SOBRE A NOVA MOEDA:

·         Os economistas de Mato Grosso do Sul não veem a criação de uma moeda única com bons olhos. Eles acreditam que a implementação desse projeto levará tempo e que a Argentina é mais favorável à criação da moeda do que o Brasil. Eles acreditam que essa ideia requer mais tempo para ser implementada, e que a Argentina está muito ansiosa para sua criação, afirmam que o Brasil prefere precisa estudar o assunto com mais detalhes.

 

·         O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, também se mostrou contra a ideia, embora o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteja a favor. A equipe econômica de Haddad estaria estudando um modelo em que os países manteriam suas próprias moedas e haveria a criação de uma moeda apenas para transações comerciais entre os países do Mercosul. 




·         O ministro da economia da Argentina, Sergio Massa, disse que essa é uma iniciativa bilateral entre as maiores economias da América do Sul e seria oferecida como uma oportunidade para outros países do continente.

 

 

No entanto, alguns economistas argumentam que essa proposta não faria sentido, pois já existe uma moeda para essas transações, o dólar. O objetivo, segundo o embaixador Scioli, é fortalecer o bloco comercial e ampliar o vínculo entre os países da região.


 

DESENVOLVIMENTO DA MOEDA:

De acordo com o presidente Lula, Haddad está trabalhando em uma proposta para atender ao pedido de uma moeda única para operações comerciais com países membros do Mercosul, em conjunto com os outros integrantes do bloco econômico. O ministro esclareceu que essa moeda não seria a mesma proposta pelo ministro da Economia Paulo Guedes, e que ela não substituiria o real brasileiro ou o peso argentino.

 O presidente Lula afirmou que os ministros da Fazenda dos dois países estão trabalhando em uma proposta de comércio exterior e transações entre os dois países que seria feita em uma moeda comum, e que essa criação seria construída com muitos debates e reuniões.



 

QUEM IRIA EMITIR A MOEDA SUR?

A moeda comum proposta seria emitida por um Banco Central Sul-Americano. Essa instituição seria responsável por gerenciar a moeda e garantir sua estabilidade. A ideia é que ela seja inspirada na URV (Unidade Real de Valor), que foi utilizada na transição entre o Cruzeiro Real e o Real em 1994.



QUAIS SÃO AS CONSEQUÊNCIAS DE UMA POSSÍVEL MOEDA ÚNICA NO MERCOSUL?

 

VANTAGENS:

§  Facilidade de usar a mesma moeda em todos os países membros, o que tornaria as transações econômicas mais simples e menos custosas;

 

§  A moeda única também pode incentivar as economias a se relacionarem mais entre si e aumentar o desempenho econômico dos participantes, de acordo com o economista Marcos Rambalducci,


DESVANTAGENS:

Segundo Rambalducci, existem muitos desafios a serem enfrentados caso os países decidam adotar uma moeda comum, especialmente no que diz respeito à adequação das diferenças entre os países participantes.

"Cada nação possui sua própria estrutura de despesas, nível de dívida e dependência de outras moedas estrangeiras, entre outros aspectos. Isso significa que seria necessário criar um Banco Central único que estabeleceria a política monetária para o grupo. Isso pode causar muitos conflitos entre as economias, já que se trata de unir diferentes economias em uma só."

 

PAÍSES QUE UTILIZAM UMA MOEDA COMUM:

O euro é o exemplo mais conhecido e bem-sucedido de moeda única, mas não é o único no mundo.

Um exemplo próximo ao Brasil e à Argentina é o dólar do Caribe Oriental, adotado por oito países. Esse dólar é indexado ao dólar americano, com uma taxa de câmbio fixa.

Os países que adotam essa moeda são: Anguila, Antígua e Barbuda, Dominica, Granada, São Cristóvão e Nevis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas e Montserrat.


Existem também outros exemplos de moedas únicas no continente africano, como o franco CFA da África Ocidental e Central, composto por países que historicamente foram colonizados por países europeus e tem origem na substituição das moedas usadas durante a colonização.

O franco CFA da África Ocidental é utilizado em Benim, Burkina Faso, Guiné-Bissau, Costa do Marfim, Mali, Niger, Senegal e Togo. Já o franco CFA da África Central é usado em Gabão, Chade, República do Congo, República Centro-Africana, Guiné Equatorial e Camarões.



Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem